Covid 19 - Vereadores se reúnem com representantes da segurança pública e pedem que fiscalização seja intensificada

por FABRICIO COSTA publicado 02/09/2020 09h25, última modificação 02/09/2020 09h26
Segundo parlamentares muitas pessoas estão descumprindo decretos que visam segurança em relação a Covid-19.

Na manhã de terça-feira (01), os vereadores se reuniram com representantes da Policial Civil, Polícia Militar, Defesa Civil Municipal e Coordenadoria Municipal de Trânsito – CMTU e Coordenadoria Municipal de Fiscalização, para discutir medidas de combate ao COVID-19 e criação de ferramentas para fiscalizar o descumprimento por parte da população.

“A reunião teve como objetivo mostrar soluções para o atual momento de nosso município, buscando ferramentas para combate à pandemia e fiscalização das medidas de segurança”, destacou o presidente da Câmara de vereadores Paulo Márcio.

Com o crescimento do número de contaminados e ocupação de leitos hospitalares dedicados ao Covid-19 e UTI no município os vereadores expuseram suas preocupações quanto a saúde da população. “Hoje nós estamos com a UTI lotada, precisamos de medidas, o problema é cultural, temos que mudar a postura da sociedade", definiu o vereador Manoel Mazutti.

Já a vereadora Iva Viana, destacou a preocupação com as aglomerações. “As avenidas estão lotadas de pessoas desrespeitando as medidas de segurança”.

Quem também se manifestou durante a reunião foi vereador Antônio Marcus (Piru), e ressaltou as cobranças que o legislativo vem sofrendo. “Nós vereadores somos cobrados e não estamos alheios à esta situação, estamos aqui para buscar medidas”, o vereador ainda defendeu a adoção da Lei seca no município, apoiado na ocasião pelo delegado Regional.

O comandante do 14º Batalhão da Polícia Militar de Primavera do Leste, Cleiton de Moura Viana, destacou que além de auxiliar na fiscalização quanto a cumprimento do decreto, a PM também tem realizado operações no município, pois os crimes continuam a acontecer. “Estamos vivendo essa situação em todo mundo há 6 meses, alguns países com maior disciplina foram menos afetados. As demandas sociais como crimes e contravenções continuam, e continuamos com os mesmo efetivo policial”, expôs o tenente coronel, que ainda ressaltou, que em pouco mais de um mês foram promovidas seis operações no município.

O delegado regional Carlos Roberto Moreira de Oliveira, diz que a polícia civil também está atenta ao descumprimento das medidas de segurança por parte da sociedade. “Percebemos que é cultural aqui na cidade essa postura dos moradores se reunirem em avenidas ou ponto de encontros, porém, precisamos reduzir as aglomerações e conter a disseminação do vírus no município”.

Representando a Coordenadoria de fiscalização, Fábio Beraldo, coordenador da pasta, ressaltou que a fiscalização tem atuado no município, e que existe um horário para que a população faça denúncias. “Precisamos da compreensão da população, principalmente para o telefone disponibilizado para denúncias, que funciona nos seguintes horários: de quarta-feira a domingo, com horário de atendimento na quarta-feira e quinta-feira das 20h às 2h, na sexta-feira e sábado das 21h ás 3h e no domingo das 17h ás 23h, pelo telefone do disk denuncia (66) 66 99720-9494. Caso as denúncias sejam em horários diferentes ao funcionamento do disk denuncia, indicamos que a população ligue diretamente no 190".

O vereador Luís Costa destacou que ações como essa são essenciais para prevenção e combate ao Coronavírus no município. “A curva de contágio não tem diminuído em nosso município, regras foram feitas para serem cumpridas, e nós estamos aqui para fazer as regras serem cumpridas, trazer essas instituições de segurança para dentro da Câmara para discutirmos medida, é uma forma de cuidar da população”.

A represente da Câmara Municipal no Comitê de Combate ao Coronavírus a vereadora Carmen Betti concluiu que a reunião foi essencial para detectar os pontos fracos, quanto a fiscalização das medidas adotadas. “A reunião foi essencial para detectarmos as fragilidades do sistema, e elencarmos pontos fracos. Assim, concluímos que precisamos de medidas que serão sugeridas ao Comitê para serem aplicadas nas próximas semanas, além de promovermos publicidade às punições caso as medidas sejam desrespeitadas”.